.

.
30 de Julho de 1929, jovens velejadoras no porto de Deauville, França (Getty Images)

sábado, 24 de janeiro de 2009

Neurociência e paixão

Li um artigo interessante na FSP de quinta-feira, sobre uma pesquisa que diz sobre a paixão e como o nosso cérebro reage diante dela. O trecho, é o seguinte: "Para a neurociência a paixão é um estado particular de intensa ativação do sistema de recompensa (é bom, gostoso, dá prazer ou dará prazer) associada a visão, presença ou mera idéia da pessoa amada, então manter a paixão consiste em manter a associação entre a tal pessoa e a ativação do sistema de recompensa. Ou seja, associar prazer ao amor." Comentando um exemplo, se você vai a um restaurante novo, faz uma viagem diferente com a pessoa amada seu cérebro registra como algo que dá prazer e isso leva a quem está com você. Casais que caem numa rotina brutal ou que brigam muito não dão nenhuma recompensa ao cérebro. O lance, pelo visto, é sempre inovar.

estatística de rodapé: 11 pessoas morreram nos primeiros dias de janeiro atingidas por raios (9 em praias). Em 2008, foram 75 mortes, segundo o INPE. Bizarro, não?

3 comentários:

J. C. David disse...

Bizarro !! porque não foi você que foi atingido por um raio. (risos), brincadeira. Por isso que eu só vou para piscinas...

Thiago Domenici disse...

hehehe. Bizarro no sentido de morte estúpida e também o fato de ter tanto raio no brasil. É o campeão mundial de queda de raio, impressionante. Nem piscina é seguro. Abraços, Thiago

s. disse...

acrescentando: "paixão é um desejo intenso que pede socorro..."
É fogo!!!

Postar um comentário

Ofensas e a falta de identificação do leitor serão excluídos.

Web Analytics