.

.
30 de Julho de 1929, jovens velejadoras no porto de Deauville, França (Getty Images)

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Mãe em Surto X Rata de academia

Cheguei à academia atrasada para a aula de boxe. Aí resolvi correr um pouco na esteira, para não perder a viagem. Porque para as mães em surto, principalmente as solteiras, é um sacrifício conseguir ir à academia. Você precisa negociar prazos e riscos, implorar para o pai da criança ficar “só uma horinha, duas vezes por semana” e “agradecer mil vezes” quando ele diz que vai tentar. Foi então que do alto da esteira eu vi uma garota de uns 20 anos passar a catraca e adentrar o recinto. E a imagem foi quase como uma epifania em minha mente suada. Como não sou a Maitena, vou enumerar algumas diferenças básicas entre as espécies.

Mãe em Surto X Rata de academia:

M.S: chega à academia sempre correndo, um pouco descabelada. A catraca trava porque ela se esqueceu de pagar o último boleto. As roupas são basicamente uma leggin que usou durante a gravidez ou comprou para malhar no começo dos anos 90 e um camisetão remanescente do ex-marido. Dá um “oizinho” geral e começa as atividades porque cada minuto vale ouro.

R.A: Não anda, desfila. Passa a catraca dando um oi escandaloso à recepcionista, sua amiga no Orkut. Usa um top minúsculo combinando com os shorts de tecido tecnológico. Os cabelos são perfeitamente penteados em um rabo de cavalo geralmente com luzes. Dá beijinho em todos os musculosos, dos monitores aos que tomam proteína e fazem parte do cenário.

M.S: Se você tem tatuagens maiores do que estrelinhas atrás da orelha ou borboletinhas na canela, esqueça a ajuda. O monitor só virá te socorrer se o supino cair na sua cabeça. Acho que supino nem é nome de aparelho.

R.A: Pede ajuda a cada movimento. Como se com aquela barriga tanquinho ela já não soubesse os exercícios de cor! Sua garrafinha é da Náique.

M.S: Se tiver a sorte de lembrar da bendita garrafinha, a Mãe em Surto pode escolher entre a do Ben 10 ou aquela que ganhou na festa de 3 anos da Maria Clara. Quando termina os exercícios, exatamente dez minutos antes da hora combinada para pegar a criança, sai correndo com aquela leggin 90 mesmo.

R.A: Não faço idéia. Porque elas sempre ficam mais tempo do que eu.

M.S: Pega o filho feliz da vida, vai para casa tomar um banho e se sente uma heroína por ter conseguido cumprir a missão. Curte o filho e uma linda noite de sono.

R.A: Não tem história para publicar quando chega o fim do dia. Há!

Andrea Dip é jornalista e mantém a coluna Mãe em Surto neste Nota de Rodapé

6 comentários:

Jéssica Santos disse...

Amei o post!!!!!!!!!!!! e não precisa ser só mãe em surto não, pode inserir na categoria nós mulheres comuns se esforçando para voltar a forma. Ai passa as ratas de academia com o corpo perfeito, difícil ...
abs

elis disse...

Sempre absolutamente boa essa coluna! Me conforta (e me faz rir) saber que o mundo não é feito apenas de ratas de academia!! =)

felipe disse...

hahah
dmais dea.
fikei imaginando a cena enquanto lia! rss
bjo do seu amigo fe, daki do outro lado do oceano. =]

Claudia disse...

sou fã da mãe em surto, mas hj quase morri de rir quando li sobre a leggin. pouco antes, arrumando meu guarda-roupa, pensei exatamente isso: q idade tem essa leggin e qtas tentativas de "academias" ela já enfrentou... rs. valeu!

Paulo disse...

Texto bacana. Acreditem: há pai em surto também...

Marilisa disse...

Adorei teu blog...já tô seguindo...parabéns!
bjs

Postar um comentário

Ofensas e a falta de identificação do leitor serão excluídos.

Web Analytics