.

.
30 de Julho de 1929, jovens velejadoras no porto de Deauville, França (Getty Images)

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Vinicius de Moraes total e digital

Agora você pode ter acesso a todo o acervo de Vinicius de Moraes (1913-1980). É que o falecido bibliófilo José Mindlin, doou 15 livros a Biblioteca Brasiliana da Universidade de São Paulo (USP). A publicação digital foi possível após a autorização da VM Empreendimentos Artísticos e Culturais, detentora dos direitos autorais do poeta. Entre as obras, O Caminho para a Distância (1933) e a primeira edição de Orfeu da Conceição (1956). Numa entrevista para Edla van Steen, Vinicius respondeu a uma das perguntas: "Não sou um ser particularmente político, porque não tenho vocação. Sou um cara de esquerda e devo carregar o ônus de ser um cara de esquerda num mundo de direita. Um mundo tão injusto...vamos mudar de pergunta?" Acesse o acervo AQUI.

Utopia e Barbárie
Assisti ao documentário caleidoscópico do cineasta que admiro muito, Silvio Tendler. Segundo o próprio, foram 18 anos para concluir o trabalho recheado de cenas preciosas de um arquivo de imagens de dar inveja a qualquer um. Interessante é a quantidade de boas entrevistas que Silvio conseguiu reunir. Em linhas gerais, o filme expõe os principais fatos dos últimos 60 anos e reflete sobre a capacidade humana de sonhar 
e destruir, sempre com a visão pessoal do próprio cineasta que tinha 18 anos quando veio o AI-5 em 1968. Deixo a análise por conta de Vitor Nuzzi da Rede Brasil Atual (com entrevista).


3 comentários:

Emerson disse...

Nossa, que blog bom!Não conhecia mas já virei fã. E que saudades do poetinha. Não foi por acaso que meu primogênito leva o mesmo prenome do inesquecível Vinícius da Cruz de Melo Moraes. Ave, poetinha!

Paulo disse...

Aliás, Marcus Vinicius...

Emerson disse...

Verdade. E se a memória não me trair novamente, Mello :)

Postar um comentário

Ofensas e a falta de identificação do leitor serão excluídos.

Web Analytics