.

.
30 de Julho de 1929, jovens velejadoras no porto de Deauville, França (Getty Images)

segunda-feira, 10 de maio de 2010

As faxineiras e a política

Janet Royle é uma típica senhora inglesa. Muito educada, gosta de ler e de beber chá. Tem cerca de 50 anos e trabalha como faxineira, limpando escritórios no centro da cidade de Cambridge. Conheci Janet no ano passado, quando tive a oportunidade de morar no Reino Unido por alguns meses.
Eunice Pereira é uma típica senhora brasileira. Também tem cerca de 50 anos e é muito simpática. Adora conversar e está sempre sorrindo. Trabalha como faxineira em casas de famílias que vivem nos bairros nobres.
Mrs. Janet trabalhou a vida toda com limpezas. Conseguiu comprar duas boas casas, de dois andares. Aluga uma delas para estudantes estrangeiros. Vai trabalhar de carro. Reclama que a economia inglesa não está boa e que os bancos agora têm aumentado os juros para financiamentos. Gosta de ler notícias sobre política e economia.
Dona Eunice não tem casa própria. Vive em um barraco e todos os dias enfrenta horas e horas nos transportes públicos para ir trabalhar. Não gosta de ler, mesmo porque não estudou muitos anos. Desde criança tinha que cuidar dos irmãos mais novos, enquanto os pais estavam ausentes.
A faxineira inglesa está envergonhada com as notícias que leu nos jornais nos últimos meses, envolvendo deputados britânicos. Descobriu-se que os parlamentares estavam usando dinheiro público para o pagamento de despesas pessoais. Um dos deputados ia com o carro oficial assistir aos jogos de futebol do Celtic – o time pelo qual torce na Escócia. Outro usou o equivalente a 150 reais para fazer cópias de CDs com um dos seus discursos. Houve ainda outras contas pagas com dinheiro público, desde 2004, que, ao todo, somam 1,6 milhões de reais! Um escândalo!!
Eunice não sabe ao certo o que acontece na política brasileira. Não consegue entender direito quando vê reportagens na televisão sobre crises no Senado e na Câmara. Ela adora o presidente Lula. Queria votar nele de novo e diz entender tudo que ele fala. Está feliz que a economia do Brasil melhorou. Comprou até uma geladeira nova.
No Reino Unido muitos políticos renunciaram a cargos por conta da crise. Todos os deputados devolveram aos cofres públicos o dinheiro usado indevidamente. Os parlamentares passaram a amargar uma baixíssima popularidade, o que gerou uma crise partidária sem precedentes. Janet não sabe em que partido votar.
No Brasil os políticos esperam sempre um fato novo que mude a direção dos holofotes da imprensa, quando eles insistem em iluminar casos de corrupção. As pessoas têm memória curta e esquecem essas coisas que atrapalham, vez por outra, o “trabalho” rotineiro do Congresso Nacional. Eunice não se lembra em quem votou para deputado, nem para senador, mas acredita em um futuro melhor.

Sergio Denicoli é jornalista e pesquisador de mídias digitais na Universidade do Minho, em Portugal. Mantém a coluna Território Europa neste Nota de Rodapé

2 comentários:

elis disse...

Que primor de texto!!

sofia amaral disse...

bacana!

Postar um comentário

Ofensas e a falta de identificação do leitor serão excluídos.

Web Analytics