.

.
30 de Julho de 1929, jovens velejadoras no porto de Deauville, França (Getty Images)

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Jogador da Juventus, Felipe Melo, "bate-boca" com PVC ao vivo

Felipe Melo discutiu com o jornalista da ESPN, Paulo Vinícius Coelho, no ar e desligou o telefone. Se redimiu e ligou pedindo desculpas. Fica claro que o jogador da Juventus tem problemas sérios com as críticas que recebe. Se ofendeu, não é a primeira vez, ao meu ver, porque sabe - no fundinho sabe - que sua ida a Copa é um milagre. E o milagre se chama Dunga. Se sua função tática é importante para a seleção, ok, mas já que vai, é bom saber que as criticas são parte do negócio e que o torcedor ou o jornalista têm, sim, direito de questioná-lo. Que se prepare, então.

3 comentários:

Anônimo disse...

Felipe Melo é o Dunga do Dunga. Se perder a Copa, vai virar rótulo, como o hoje treinador virou em 90. Se ganhar, ele e Dunga vão mandar todos calarmos a boca. Não torço contra, mas também não torço a favor. Quero ver bom futebol. Se o Brasil não jogar assim, e a Espanha ou Argentina, torço por eles.
Abraço,
Ricardo Viel

Maurício disse...

Melão, concordo que a função do jornalista é questionar, mas acho que o tal do PVC (não o conheço, não acompanho a ESPN) esteve longe de fazer bom jornalismo.
Eu sou um leigo no assunto, mas, até onde eu sei, jornalismo é apoiado em fatos, ocorre que o vídeo no Youtube começa com o PVC dizendo que é "consenso" que o FM fez uma campanha ruim, e, mais a frente, “muita gente criticou você nessa temporada”. Ora essa, “crítica”, “consenso”? Ele está sustentando a pergunta dele em opiniões, não em fatos. Opiniões podem ser bem sustentadas ou podem ser falaciosas, podem desinteressadas ou não. E generalizar dessa forma o argumento só tem uma finalidade: torná-lo inatacável. Goebbels, Ministro da Propaganda do Hitler já se valei desse recurso: “Uma mentira repetida mil vezes se torna verdade”.
E, mais a frente, quando o FM busca falar em números, o PVC sustenta a pertinência da sua pergunta em um silogismo cujas premissas, na minha opinião, são bem questionáveis: (i) FM é jogador da Juventus; (ii) a Juventus fez sua pior campanha em 40 anos, logo, FM não jogou bem essa temporada.
Inclusive, com as premissas colocadas dessa forma, a pergunta sobre por que as pessoas devem acreditar que FM fará uma boa copa do mundo se torna retórica. A resposta fica óbvia. As pessoas não devem acreditar que ele fará uma boa copa.
Voltando às premissas. Relacionar a má campanha do time ao desempenho particular de um único jogador me parece falacioso. Não sou um expert em futebol, mas acho difícil atribuir, em um jogo coletivo, a responsabilidade pelos revezes a uma única pessoa. Um gênio poderia participar de um elenco medíocre e não conseguir fazer a diferença.
Agora, o que o FM tentou colocar, de forma menos eloquente, ao falar que a Juventus perdeu 5 de 6 jogos (ou seja, aproximadamente 83%) sem ele, é que ele faz a diferença. Talvez as estatísticas do time com ele, ainda que ruins, mostrem-se melhores que as apresentadas acima, o que, parece-me, é razoável.
Uma vez mais, não conheço o trabalho do PVC e tão pouco acompanho o campeonato italiano. Ocorre que acho a profissão de vocês muito delicada e, por isso, deve ser tratada com muito cuidado.

Thiago Domenici disse...

Alô, Maurício, na Inglaterra perguntas como a do PVC são tão naturais quando feitas por jornalistas que os jogadores quando vão a coletivas ou participam de programas esportivos sabem que precisam estar preparados para as respostas. Basta ver, como exemplo, uma entrevista da BBC com FHC onde é perguntado tudo que deveria ser perguntado por aqui. Ao contrário de muitos profissionais ruins, PVC é dos mais confiáveis e competentes que já vi nesse meio esportivo. Você que acompanha pouco futebol, como escreveu, e nem o campeonato italiano, precisa levar em conta a carga, digamos, "emocional" da pergunta. Felipe Melo não é um jogador que salta aos olhos. Quando ele pergunta "vc é jornalista?" vejo aí uma irônia ofensiva ao entrevistador que é sempre - e acompanho os programas da ESPN - educado com seus entrevistados. Cadê a argumentação de Felipe Melo? Ao que retruca PVC "você é jogador?", nitidamente, ao desligar o telefone, Felipe Melo, assume uma postura que pode ser entendida mas que não é usual. Por isso digo: no fundo ele sabe que sua ida é milagre. Ao que consta no meu comentári ele precisa saber lidar com situações como essa. Eu, que acompanho o campeonato italiano, não gosto do estilo dele, brucutu e agressivo ao jogar. Pra mim um estilo incompatível para a seleção brasileira, ainda mais numa copa do mundo. Quanto aos profissionais jornalistas, em qualquer área é preciso cuidado, advogados, médicos e afins... e não só na nossa. Agora, muito do que você pondera, sim, concordo. Principalmente no que diz respeito a atribuir a má campanha a um único jogador. Ele não é o responsável sozinho, mas tivessemos um Hernanes (SPFC) no lugar dele, por exemplo, com certeza a Juventus faria muito mais gols e poderia ter tido melhor sorte. Qualidade no futebol faz toda a diferença, individual e coletiva.
Abraço,
Thiago

Postar um comentário

Ofensas e a falta de identificação do leitor serão excluídos.

Web Analytics