.

.
30 de Julho de 1929, jovens velejadoras no porto de Deauville, França (Getty Images)

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Mãe, o que é capitalismo?

Estes dias recebi reclamações porque o pequeno estava cantando a música da banda Garotos Podres na escola. Mais especificamente aquela que diz: 
“Papai Noel / velho batuta (não é isso, mas eu disse a ele que sim) / rejeita os miseráveis / (...) aquele porco capitalista / presenteia os ricos / cospe nos pobres (...)”. 
"Ele cospe nos pobres?"
Ipod no carro é isso. As músicas vão rolando e às vezes a gente não consegue tirar antes que as crianças percebam e gritem “deixa aí”.
Meu filho tem uma aguçadíssima memória musical. Ouve uma vez qualquer coisa e já grava em seu pequeno cérebro. De Garotos Podres ao desgraçado Rebolation da propaganda de CD. Ele já tem algum filtro interno (obrigada Senhor), mas, para garantir, eu deixo nos canais educativos enquanto ele está acordado. Mas isto é assunto para outro post.
O fato é que a caminho de casa, em nossa andança diária ele me perguntou: “O que é capitalismo?” Seguido de “Por que o Papai Noel cospe nos pobres?” E lá vamos nós. Lembrei de quando ele me perguntou o que era “justiça” e o que era “paz”. Pensei por um minuto que não poderia ser cruel e responder “Porque o Papai Noel é invenção do capitalismo para nos fazer gastar dinheiro com brinquedos do Ben 10 feitos por crianças escravizadas na China”. Então respondi apenas algo como “capitalismo é a forma com que vivemos hoje, em que temos que trabalhar muito para ganhar algum dinheiro, mas algumas pessoas por falta de oportunidade não ganham dinheiro e são pobres. Também existem pessoas que trabalham pouco e ganham muito dinheiro. Isso é o ruim do capitalismo: uns tem muito dinheiro e outros não tem dinheiro nenhum”. Algo assim, não me lembro as palavras exatas. A resposta, bem mais rápida do que a minha foi “poxa mãe, mas as pessoas já são pobres, precisa o Papai Noel cuspir nelas? Ele é mau?”. Pronto. Piorei a situação.
Aí respondi: “Isso é modo de dizer filho, porque como os pobres não têm dinheiro para comprar presente de natal, é como se o Papai Noel nem ligasse para elas. Mas ele não cospe, é que o moço que fez a música é punk”. A resposta foi tosca, leitor, eu sei, mas queria ver se fosse você na cena! Deve ter adiantado, porque ele respondeu: “Então eu vou dar alguns presentes que ganhar de natal para os pobres. Assim eles ficam felizes e o Papai Noel não cospe neles”. Depois dessa, eu só poderia dizer aliviada: “Lindo, filho. Isto se chama ‘comunismo”.

Andrea Dip é jornalista e mantém a coluna Mãe em Surto neste NR

12 comentários:

Fabi disse...

Incrível a sua resposta! Mais incrível ainda foi a conclusão dele!

Daqui a pouco sou eu a responder essas perguntas capciosas...

Beijos,
Fabi
http://depoisqueeudescobri.wordpress.com/

Gisele Brito disse...

Mas vc não disse que era comunismo?! Gente, que máximo esse guri.

Cylene disse...

Déaaa! Aproveita o embalo e escrevo um livro para crianças sobre o tema!! rs Adorei a resposta que vc deu pro pequeno!!

Beijoo

Johann disse...

Genial !! Imagino que se eu tivesse um filho seria exatamente assim a nossa relação !

daniel disse...

É Garotos Podres, não Ratos...

Julia disse...

O pequeno e suas dúvidas geniais. Adorei o post.
Bjs.

andrea dip disse...

Daniel, já corrigi! Rsss cabeça de mãe em surto.. #fail

Flavio Donadio disse...

Déa, eu acho que você mandou muito bem, mas deixo dois pontos para desenvolvermos:

1. Como o Davi ainda é pequeno e tem pouquíssima -- ou nenhuma -- malícia, você poderia dizer: "Lindo, filho. Isto se chama 'altruísmo'".

2. No comunismo, o Davi não escolheria dar os presentes aos pobres; ele seria obrigado.

No mais, deixo os parabéns pela presença de espírito de conseguir explicar ao menino essa história toda...

Natalia Mendes disse...

Adorei! Me fez lembrar alguns trechos do filme A culpa é do Fidel. Muito bom!

Anônimo disse...

Seria tão bom se as crianças não perdessem esse senso de justiça...
não fossem engolidas pelo sistema...ao menos alguns a ouvem! Elas têm muito a ensinar e nós muito a resgatar. Voto no Davi!

Maíra disse...

Adorei!!!
Ainda não sou mãe e fiquei a imaginar em um futuro (se houver) como responderia.... achei melhor guardar a sua resposta!!!

Sobre a ideia do livro. Ótima! Eu iria comprar e dar para os filhos que não podem fazer perguntas assim, já que os pais apenas ouvem Rebolation....

Até a próxima

tadeu disse...

legal pra caralho, dip. vc é foda. umas das melhores cronistas que já li. ainda mais quando o assunto é ser maẽ.

Postar um comentário

Ofensas e a falta de identificação do leitor serão excluídos.

Web Analytics